Auxílio emergencial: veja quem está suspenso do pagamento da 4ª parcela

Entre cada período de pagamento, o governo analisará novamente os dados de todos os beneficiários

Se você está entre as pessoas que estão sendo beneficiadas com o auxilio emergencial do governo, fique atento. Em alguns casos, você pode parar de receber assistência de emergência. De acordo com o jornal Contábil, entre cada período de pagamento, o governo analisará novamente os dados de todos os beneficiários. O objetivo da análise é verificar se os cidadãos continuam solicitando assistência de emergência. 

Saiba por que você pode ser excluído de pagamentos futuros:

Contratação no período: o usuário conseguiu um emprego formal durante o intervalo de tempo de recebimento do auxílio. A regra também se aplica a membros, caso faça a renda familiar subir para além do estabelecido;

 Recebimento de seguro-desemprego: os beneficiários que começaram a receber o seguro-desemprego depois da aprovação do cadastro, não podem acumular os benefícios;

– Aumento da renda familiar: se, por qualquer outro motivo, a renda mensal por membro da família ultrapassar meio salário mínimo (R$ 522,50) ou renda familiar total de até R$ 3.135;

 Recebimento de benefícios previdenciários: caso o usuário comece a receber aposentadoria, pensão, auxílio-doença ou suporte de programas de transferência de renda do governo (com exceção do Bolsa Família). Essa regra também inclui membros da família;

 INSS: fez contribuição individual ao INSS sobre um valor superior a R$ 3.135 ou que indique renda por pessoa acima de R$ 522,50;

 Recebimento de prestação de serviços: empresa para a qual o beneficiário presta serviço realizou pagamento superior a R$ 3.135 ou que indique renda por pessoa acima de R$ 522,00.

As atualizações de dados também podem ser feitas automaticamente no banco de dados do Ministério da Cidadania, o que pode resultar em suspensão do pagamento. No entanto, de acordo com esta pasta, o pagamento será liberado após a confirmação da elegibilidade do CPF.

Calendário da 4ª e 5ª parcela

O presidente da Caixa Econômica Federal Pedro Guimarães, informou que já existe um calendário predefinido, mas o cronograma deve seguir o método de pagamento anterior. O horário não foi divulgado. Mas, como outras parcelas, o pagamento terá prioridade no depósito por meio de uma conta digital de poupança social. Segundo Pedro Guimarães, os depósitos serão feitos em contas digitais nos meses de julho e agosto e afirmou que metade dos cidadãos que recebem ajuda gasta dinheiro antes da data da retirada, o que exigia Mais tempo

Diferentemente dos beneficiários da assistência de emergência registrados por meio do aplicativo, site ou cadastrados no CadÚnico, os beneficiários registrados no Bolsa Família seguem um cronograma de pagamento regular. 

 O pagamento do auxílio às pessoas registradas no Bolsa Família, é baseado no último dígito do Número de Identificação Social (NIS). É preciso lembrar que, diferentemente de outros beneficiários do plano, de acordo com o NIS, aqueles que aderiram ao plano de subsídios familiares já têm seu calendário predefinido. Como nas três primeiras edições, não há necessidade de fazer solicitações especiais para continuar recebendo assistência de emergência.

*Com informações do Portal R7/Folha Vitória

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: