Botafogo rejeita vingança contra Flamengo, mas admite importância de clássico

O time voltará a se reencontrar com o rival no sábado, em clássico válido pela Taça Rio.

A derrota do Botafogo por 3 a 1 para o Flamengo nas semifinais da Taça Guanabara provocou mudanças no clube, sendo a principal delas a queda do técnico Felipe Conceição, substituído por Alberto Valentim. O time voltará a se reencontrar com o rival no sábado, em clássico válido pela Taça Rio, mas o zagueiro Igor Rabello destacou a importância de o time esquecer aquela decepção e se concentrar apenas no clássico, evitando pensar em uma “vingança”.

“Acho que temos que tirar esse lado da Taça Guanabara, ficou no passado. Agora temos que pensar na Taça Rio e focar no nosso objetivo, que é classificar para a semifinal da competição. Por isso é muito importante vencer o Flamengo, até pelo nosso grupo estar muito embolado, vencemos os dois jogos e estamos em quarto. É um jogo muito importante para olharmos para frente, não para o que passou”, afirmou.

Como explicou o defensor, o grupo do Botafogo na Taça Rio, o C, está embolado, pois quatro times – Fluminense, Portuguesa, Boavista e o próprio clube de General Severiano – venceram nas duas rodadas iniciais. Assim, um tropeço diante do Flamengo pode complicar o Botafogo, que vem apresentando bom rendimento defensivo nos últimos compromissos.

“Isso é mérito do Alberto junto com a equipe. Todos os dias ele está nos explicando sobre os sistemas ofensivo e defensivo, até mesmo sem a bola treinamos a movimentação correta dentro de campo e estamos conseguindo levar isso para os jogos. Nos últimos dois jogos nós quase não sofremos com chutes próximos ou dentro da área, fruto do importante trabalho que o Alberto está fazendo com a gente. Acredito que só temos o que melhorar daqui pra frente”, afirmou o jogador, elogiando o trabalho que vem sendo realizado por Alberto Valentim.

Titular do sistema defensivo do Botafogo, Igor Rabello também vai encarar o Flamengo mirando o seu primeiro gol pelo time em 2018. “Está faltando o golzinho, né. No ano passado foram dois, nessa temporada ainda não saiu nenhum. Ano passado fiz um no Carioca e ainda não saiu. Contra a Cabofriense eu tive umas três chances e não consegui fazer o gol. Mas tenho certeza que na hora certa vai sair para ajudar a equipe”, comentou.

Fonte:

Redação Folha Vitória

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: