Gastroclin: Clínica de Doenças do Aparelho Digestivo

Xerostomia

A xerostomia ( também conhecida como boca seca ou secura de boca) é um sintoma relacionado à falta de saliva.

A xerostomia pode causar dificuldade em falar e comer. Também pode levar à halitose (mau hálito) e aumento dramático de cáries dentárias, já que o e feito de proteção da saliva não está presente, e também pode fazer com que a mucosa da boca se torne mais vulnerável a infecções.

A língua pode mostrar deficiência pela atrofia das papilas, inflamação fissuração, rachaduras e até desnudação. O indivíduo portador de xerostomia apresenta sensibilidade, ardência, queimação e dor na mucosa da língua.

A xerostomia crônica predispõe à  cárie dental, complivações periodontais e perda subseqüente dos dentes. O paciente apresenta dificuldades para utilização de dentaduras e incômodos com aparelhos protéticos devido à secura da boca.

O volume de saliva secretada, em condições basais de repouso está em torno de 1ml/min, o que totaliza diariamente um volume de 1000 a 1500ml/dia ( em média 1200 ml/dia). As variações deste volume como as de composição da saliva devem-se à ação de fatores controladores da secreção salivar, sendo o mais importante , como para as funções digestivas em geral.

Causas:

Existem várias causas possíveis para a xerostomia, tais como ingestão inadequada de líquidos, respiração bucal, fumo excessivo, doenças sistêmicas e metabólicas, uso de antidepressivos ( entre outros tipos medicamentos), lesão dos nervos que inervam as glândulas salivares, finalmente pobre higiene bucal. O sintoma também pode ser observado em alguns pacientes que são submetidos à radioterapia em região acima do tórax.

Diagnóstico:

Xerostomia pode resultar de ambas causas salivares e não-salivares. Como, nem todas as queixas de boca seca são indicativas de disfunsão na glândula salivar. È importante distinguir de boca seca que é relacionada à verdadeira hipofunsão secretora, tendo em vista que esses indivíduos correm risco de distúrbios orais de tecidos moles e duros. Eles devem ser identificados e colocados em regimes preventivos e corretivos apropriados. Muitas causas não-salivares da xerostomia podem ser discernidas prontamente pela historia. Se uma causa não é aparente, uma completa avaliação é necessária. Certas dessas causas ( tais como disfunção sensorial oral) precisam de procedimentos especializados de diagnóstico, enquanto outros são diagnosticados de exclusão (tal como a xerostomia psicogênica). Criticamente, é necessário reconhecer que a queixa da xerostomia não é suficiente para o diagnóstico da disfunção salivar. Reciprocamente, a ausência de queixa de boca seca não é uma garantia do adequado funcionamento salivar. Foi estimado que a secreção salivar tem que decrescer em aproximadamente 50% antes que a secura seja aparente.É então possível que aconteça um substancial declínico de secreção sem que haja uma conscientização sintomática. Isso argumenta para objetivas medições da função salivas como um meio de diagnósticos de hipofunção secretora. Essa é uma importante ferramenta; no entanto, o valor do diagnóstico de uma única medição de secreção salivar é limitada pelo ato limiar de variação da função normal. È de grande utilidade medições da função salivar e uma aproximação compreensiva as avaliação.

Tratamento:

O controle da doença depende da natureza da mesma. Para a maioria dos pacientes só pode ser oferecido alívio sintomático. Procura-se encontrar a causa da baixa do fluxo saliva, deve ter-se uma higiene bucal rígida e um controle na dieta. Para que seja tentada uma reativação da secreção das glândulas salivares, o uso de tabletes de fosfato de cálcio e gomas de mascar é recomendado e em condições extremas é indicado o tratamento químico com aconselhamento e acompanhamento do cirurgião dentista, com medicamentos que provocam a secreção de saliva (sialogogo); esse medicamento detecta se há possibilidade de a glândula reabilitar-se por si só, caso não seja possível, a única saída é a reabilitação por saliva artificial.


Procure seu médico / Dentista e Nutricionista.

Dr. Celso Ribeiro Ferreira

Gastroenteorologia Endoscopia Digestiva Avançada

CRM-RJ: 52.31819-0

CRM-ES: 2.979

Rua Tenente José Teixeira,450

Edifício Guido Ferrero

Tininho Blog

Publicidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: