Fístula anal – Tininho Blog

Fístula anal

O que é fístula anal?

A fístula anal é um trajeto anormal (um “túnel”) que se estabelece entre a pele do períneo, externamente, e o canal anal, internamente. É a esse trajeto que se chama de fístula anal.

Quais são as causas da fístula anal?

As fístulas anais surgem em sequência a um abscesso (furúnculo )  perianal, formando um trajeto entre o ânus  e a região perianal (orifício externo). Este abscesso tem origem em uma infecção no canal anal  (  criptite ) ,  e a partir daí se desenvolve em direção ao entorno do ânus. No momento em que ele é drenado, deixa um caminho que une o ponto inicial ( trajeto fistuloso ) indo da infecção  interna  à pele perianal. O orifício extra-anal pode abrir-se também em outro órgão interno como a vagina, por exemplo. Algumas fístulas são consequentes à obstrução dos canais de drenagem de glândulas do canal anal, junto aos esfíncteres anais. Esta obstrução inicialmente provoca um processo inflamatório  (  criptite ) e, com o tempo, um abscesso. Outras alterações menos frequentes que também causam fístula anal são a tuberculose, a Doença de Crhonn ,  os traumas anorretais, as neoplasias do reto  ( câncer)  ou do canal anal, as cirurgias no reto, as cirurgias ginecológicas ou obstétricas.

 

Quais são os principais sinais e sintomas da fístula anal?

O principal sinal da fístula anal é a presença constante de uma secreção purulenta na região perianal. As fístulas anais podem permanecer assintomáticas por meses, mas voltam a apresentar secreção e dor esporadicamente . Eventualmente, o orifício externo pode cicatrizar, dando a impressão que o problema está sanado, porém como o orifício interno e o trajeto da fístula não cicatrizam, a secreção purulenta se acumula e faz uma pressão que abre novamente o orifício externo ou um novo orifício externo. Muitas vezes as fístulas anais são percebidas como cordões endurecidos e dolorosos que se dirigem para o orifício anal. A dor é causada pela pressão exercida pela massa tumoral e e pela infecção local , por isso, tão logo o abscesso se rompa ou seja drenado, a dor é amenizada ou desaparece.

Como o médico diagnostica a fístula anal?

O diagnóstico de fístula anal é essencialmente clínico e deve ser baseado na história clínica e no exame físico. A inspeção revelará um abaulamento avermelhado e com aumento da temperatura da pele. Como o abscesso e a fístula anal fazem parte de uma mesma doença, deve-se fazer um diagnóstico da fase em que a afecção se encontra. Exames complementares como ultrassonografiatomografia computadorizada e ressonância magnética pélvicas e COLONOSCOPIA  podem fornecer informações sobre o trajeto de fístulas e sobre as doenças associadas a ela. Como a fístula anal decorre de outras doenças proctológicas, é necessário que se faça também o diagnóstico delas. Atualmente o exame de ressonância perineal ( pélvica ) é padrão  de excelência no pré  operatório das fístulas peri anais .

Como tratar a fístula anal?

O tratamento de uma fístula anal é eminentemente cirúrgico. Há técnicas cirúrgicas diferentes, seletivamente aplicáveis a cada tipo de fístula. É muito raro que elas se cicatrizem espontaneamente. Só haverá necessidade de antibióticos se o médico que realizou a cirurgia julgar necessário. Como a fístula anal decorre de outras doenças proctológicas, é necessário que se faça também o tratamento delas.

Quais são as complicações possíveis da fístula anal?

O tratamento cirúrgico ou orientação clinica  inadequados das fístulas anais pode levar à incontinência anal, mas muitas vezes isso se deve complicações inerentes a patologia de origem .

Procure seu médico de confiança caso você  tenha estes sintomas ou sinais , sempre um gastroenterologista ou colo proctologista   especializados .

 

Dr. Celso Ribeiro Ferreira e Drª. Tatiana Q. V. Lima

Médicos Gastroenterologistas especialistas em doenças do aparelho digestivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: